IFPJ – Instituto Francisca Paula de Jesus

Irmãs Franciscanas do Senhor

A CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FRANCISCANAS DO SENHOR foi fundada pelo Frei Angélico Lipani em Caltanissetta na Sicília, Itália, em 15 de outubro de 1885, sob a inspiração da forma de vida franciscana, com a finalidade primária de santificar seus membros pela observância dos três conselhos evangélicos, mediante voto público e pela vida fraterna comunitária, segundo a “Regra e vida dos Irmãos e Irmãs da Ordem Terceira Regular de São Francisco” e as Constituições próprias da Congregação.

O Frei Angélico Lipani, numa visão profética, movido pelo amor de Cristo e pela compaixão para com os irmãos necessitados, espiritual e materialmente, fundou o Instituto das IRMÃS FRANCISCANAS DO SENHOR, reconhecido pela Igreja como um Instituto de Vida Consagrada, Apostólico e de Direito Pontifício.

A Congregação surge em um período de desastres nas minas de enxofre de Caltanisseta e da região. Em decorrência desses desastres muitas crianças ficaram órfãs, Frei Angélico e as irmãs as acolhem no Instituto Senhor da Cidade, fundado para essa finalidade, oferecendo não somente abrigo mas também cuidado e educação para crescerem em segurança.

Em 22 de maio de 1954, a Congregação chegou ao Brasil, desembarcando as primeiras religiosas no Rio de Janeiro, Irmãs Margarida Palermo, Liliana Desumma, Pierina, Virgínia e as Madres Annina Ragusa e Crescência, como pioneiras no país. A vinda das Irmãs deve-se ao convite, na época, do Frei Jorge de Módica. O primeiro lugar de missão no país, foi na obra social no Morro do Turano, atualmente Morro da Liberdade na cidade do Rio de Janeiro.

A partir daí foi-se expandindo e hoje se faz presente em 4 estados do Brasil e na Bolívia, atuando nas mais variadas frentes de missão e apostolado como escolas, casa de acolhida para menores em situação de risco, casas de repouso para idosos, hospital, pastoral, entre outras, a serviço da construção do Reino, com o carisma de “Ser Santas, vivendo o dom total de nós mesmas no amor, em fraternidade, seguindo Cristo no exercício da maternidade espiritual educativa”.

Quem foi Frei Angelico Lipani?

Frei Angélico Lipani, filho e seguidor de Francisco de Assis, foi Fundador da Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor, Sacerdote Capuchinho da Cidade de Caltanissetta, restaurador da fraternidade capuchinha que estava dispersa por causa da supressão das ordens religiosas, professor de letras no seminário diocesano, escreveu uma gramática com metodologia própria, muito amado e venerado pelos fiéis das diversas classes sociais e do clero da cidade, chegou ao ocaso de sua vida em fama de santidade. De uma luminosa espiritualidade e com um envolvente testemunho de caridade. Religioso de santa vida e empreendedor representante de um catolicismo localmente muito radicado, tradicionalmente sensível às necessidades dos pobres e, ao mesmo tempo, aberto a iniciativas de inovadoras formas de assistência caritativa no confronto com as novas situações de necessidade material e moral. (Cataldo Naro, Angelico Lipani – 1996) – “I Carusi”: Os meninos sem infância

A extração de enxofre era a principal atividade econômica da Sicília, mas rendia muito lucro para poucos! Tão grande era a pobreza que, muitas famílias se viam obrigadas a entregar seus filhos para os donos das minas. A eles cabia a tarefa de encestar e transportar nas costas até a parte de fora da mina cerca de 30 a 50 kg de cascalho a cada viagem, e repetiam isto inúmeras vezes por dia. Uma fadiga muito superior ao possível de ser suportado por um físico imaturo e muitas vezes mal nutrido. Estes eram os “Carusi”. Frei Angélico liderava as ações fraternas em prol destas famílias, mas sentia que não era o bastante. Eram frequentes os acidentes e explosões nas minas, matando muitos mineradores e crianças, além de deixar inúmeras viúvas e órfãos.

Frente a esta dura realidade Frei Angélico Fundou, em 1884, contando com a Divina Providência um Instituto para acolher órfãs, auxiliado pelas terciárias franciscanas.

Das terciárias Giuseppina Ruvolo e Grazia Pedano sentiram o desejo de se consagrarem para com seu serviço fraterno, oferecer uma vida mais digna aos menores do Reino de Deus, era 15 de outubro de 1885. Mais tarde, das meninas que foram atendidas no Instituto Senhor da Cidade, também brotou o desejo da consagração. A partir destas primeiras o Senhor fez frutificou a plantinha de Frei Angélico e a Congregação cresceu e se espalhou por diversas nações. Aos Pés do Crucifixo Senhor da Cidade Frei Angélico recebeu a inspiração do Espírito de Deus do que haveria de fazer em meio a realidade se sua época: acolher os menores do Reino! Não ficou muito tempo sozinho, Deus suscitou mulheres corajosas, que se consagrando radicalmente ao Evangelho deram continuidade a este Carisma.